terça-feira, 10 de dezembro de 2013

CASQUEAMENTO PREVENTIVO



O casqueamento realizado no final da lactação é uma alternativa para o controle das doenças do casco. Apesar desta medida profilática constituir uma atividade simples, muitas pessoas têm dúvidas sobre a execução deste casqueamento, que basicamente possui os seguintes objetivos:
·         Correção do casco com crescimento anormal (pinças longas, talões baixos. 
·         Restituir o "balanceamento" entre as unhas, ou seja, a correta distribuição do peso entre as unhas dos cascos. 
·         Identificar resíduos de lesões ou rachaduras ocorridas durante a lactação e recuperar a integridade da sola.
Mas, vale a pena destacar que este casqueamento, dito preventivo, não é a solução de todos os problemas associados ao sistema locomotor! O produtor que deseja minimizar a incidência das afecções de casco no rebanho precisa trabalhar conjuntamente com a nutrição, o conforto, a qualidade/higiene do piso e, finalmente, com o casqueamento preventivo.
O casqueamento preventivo é constituído de quatro cortes. Cada etapa será detalha para que todos possam executar este casqueamento. Basicamente os cortes são muito simples e exigem apenas uma dose de bom senso do casqueador!
Atenção: todas as medidas mencionadas abaixo são apropriadas para vacas adultas!


O período mais indicado para a realização do casqueamento preventivo é o final da lactação / início do período seco, pois, neste período, a vaca será levada para um local seco e com baixa densidade animal, fatores que favorecem a recuperação do casco. Algumas fazendas com elevada incidência de afecções podais podem optar pela execução de um exame nos cascos das vacas aos 150 dias de lactação. Entretanto, apenas os cascos que apresentem lesões devem ser tratados e casqueados. Realizar um casqueamento preventivo completo, em todas as vacas, nesta fase da lactação, retira a camada mais resistente do casco deixando-o mais frágil e predisposto a novas lesões. 

Por fim, o casqueamento preventivo pode parecer um trabalho extra, em meio a tantas atividades envolvidas no dia-a-dia do rebanho, mas considere as informações abaixo e avalie você mesmo a importância desta prática de manejo:

·         Existe uma alta correlação entre baixa produção de leite e vacas que não conseguem caminhar com segurança e conforto até o cocho de alimentação ou até o pasto. 

·      Vacas acometidas com claudicação têm dificuldade em demonstrar cio e, muitas vezes, interrompem seus ciclos reprodutivos.

Vacas acometidas com claudicação ficam por mais tempo deitadas, muitas vezes em locais úmidos, aumentando as chances de apresentar mastite.

·         O custo de executar um casqueamento preventivo anual é muito pequeno quando comparado aos prejuízos diretos e indiretos da enfermidade.


Por Renata de Oliveira Souza Dias 

Postar um comentário