sexta-feira, 15 de julho de 2016

A importância da seleção através da precocidade sexual em bovinos


Na pecuária as características reprodutivas possuem um impacto econômico maior quanto a comparamos com as características associadas ao crescimento. Assim como os processos de seleção na pecuária de corte para o desenvolvimento ponderal têm sido bem explorado, também é necessário maior atenção para as características reprodutivas do rebanho. A seleção dos animais com base nos desempenhos reprodutivo e produtivo dos touros e matrizes é relativamente recente no Brasil especialmente em criadores de raças zebuínas, porém existe uma pequena porcentagem de criadores que há anos já selecionam com base nestes desempenhos. Nos plantéis de elite, houve sempre valorização da beleza dos animais em detrimento do ganho de peso, da precocidade sexual e da qualidade de carcaça. Em virtude das exigências do mercado e também do aumento de pesquisas que indicaram as melhorias ao se selecionar animais com base no desempenho reprodutivo, este senário vem passando por mudanças ao longo dos anos e a seleção dos indicadores de eficiência reprodutiva se destaca cada vez mais.



Visto que a reprodução é um processo complexo e a seleção direta para características ligadas a ela é difícil de ser aplicada, necessitamos de alguns indicadores que auxiliem neste processo, como a seleção para as características:

·    Perímetro escrotal aos 12 meses e 15 meses de idade (PE365 e PE450): Está relacionado com a idade à puberdade em machos e fêmeas, possui associação genética favorável da característica com a precocidade sexual e fertilidade. 
·     Ganho de peso a desmama e peso aos 12 meses de idade (MP120 e P365): Expressam respectivamente o ganho de peso dos filhos, devido à habilidade maternal (produção de leite) apresentado pela fêmea e o potencial de ganho de peso no período pós-desmama.

As características mencionadas à cima possuem correlação favorável com as características de desempenho
reprodutivo que expressão a precocidade sexual:

·   Idade ao Primeiro Parto (IPP): Indica a precocidade sexual, influencia a produtividade do rebanho e a eficiência reprodutiva do rebanho. Quando se utiliza DEPs negativas para essa característica é possível reduzir os meses para o primeiro parto.
·    Probabilidade de Parto Precoce (3P): Expressa à probabilidade de um reprodutor produzir filhas que serão emprenhadas mais cedo, mantendo a gestação e parindo um bezerro vivo.

Dessa forma a utilização de características que indicam precocidade sexual e puberdade com fácil mensuração e que tenham correlação favorável com características reprodutivas nas fêmeas pode solucionar o problema do baixo potencial de produção de bezerros devido às fêmeas avaliadas não se tornarem gestantes ao final da estação de monta.

Devido à importância da seleção de animais para características ligadas à reprodução, a busca por animais que expressão e imprimam em seus filhos as características que indicam precocidade aumentaram e podemos levar em consideração os três tipos de precocidade: sexual, crescimento e acabamento. Haja vista que os três tipos de precocidade estão interligadas, seja com correlações positivas ou negativas. Vale ressaltar que na adoção dos critérios para seleção das características, é importante selecionar características com valores de herdabilidade de moderada a alta, que é um indicador de que são características influenciadas por genes de ação aditiva e que tornam a seleção um mecanismo efetivo de melhoramento.

Concluindo, a seleção para precocidade sexual dos animais pode reduzir os custos de produção dentro da fazenda, reduzir o intervalo de gerações que é calculada através da média de idade dos pais quando sua progênie nascer, aumentar o ganho genético e aumentar a produtividade, pois terá fêmeas na propriedade que produziram mais filhos durante sua vida produtiva o que expressa a eficiência do sistema de criação.




Postar um comentário