terça-feira, 8 de julho de 2014

FREEMARTIN


 Muitos pecuaristas criam normalmente as fêmeas nascidas da gestação de gêmeos de sexos diferentes, justamente por não saber que a maioria das fêmeas nascidas nestes casos será estéril (cerca de 90%).

O "Freemartismo" é reconhecido como uma das formas mais severas de anormalidade sexual entre bovinos. Quando há nascimento de animais gêmeos e de sexos distintos, a fêmea terá grandes possibilidades de não ser fértil, pois durante a gestação de gêmeos, a membrana placental é compartilhada entre os fetos, havendo com isso um elo entre os fetos e a placenta.

Exemplo:



Fonte da imagem: http://www.uoguelph.ca/~rfoster/repropath/flfgpics.htm

Essa ligação da membrana placental ocorre no quadragésimo dia de gravidez da vaca, e depois disso, os fluídos dos dois fetos são misturados. Isto causa troca de sangue e antígenos que levam características que teriam que ser diferentes para os machos e para as fêmeas. 

Quando estes antígenos misturam, eles afetam um ao outro e de certo modo um feto poderá desenvolver características do outro sexo.

O gêmeo masculino neste caso só é afetado por fertilidade reduzida, porém, em cerca de 90% dos casos o gêmeo feminino é completamente estéril. Fato que se explica devido à transferência de hormônios ou uma transferência de células. Os órgãos genitais das fêmeas são severamente afetados, sendo subdesenvolvidos e às vezes contém alguns elementos masculinos.

Um freemartin é geneticamente feminino, mas possui muitas características de um macho. Os ovários do freemartin não se desenvolvem corretamente, e eles permanecem muito pequenos. Os ovários não produzem os hormônios necessários para induzir os sinais de cio.

O "Freemartinismo" não pode ser prevenido; porém, pode ser diagnosticado de vários modos que variam desde exames simples das membranas da placenta até a avaliação de cromossomos. Em alguns casos, o gêmeo masculino pode ter sido abortado em uma fase inicial da gestação (antes do quadragésimo dia de gestação). Neste caso, não haverá nenhum sintoma de "freemartinismo".

O diagnóstico precoce de fêmeas estéreis torna-se extremamente importante para os pecuaristas, pois com isso poderá economizar em alimento, mão de obra e maximização do espaço físico da propriedade.

A porcentagem de nascimentos de gêmeos de sexos diferentes em bovinos é em torno de 0,5% ou 1 em cada 200 nascimentos. Vale ressaltar que a infertilidade devido à gestação de gêmeos só ocorrerá quando os sexos forem diferentes, ou seja, quando gêmeo de duas fêmeas ou dois machos ao haverá problemas de fertilidade. 

Fonte: Robert A. Foster - Department of Pathobiology. Ontario Veterinary College - University of Guelph.
Postar um comentário